Destinos Portugal

Descobrir Guimarães, o berço de Portugal

Guimarães é conhecida como o Berço da Nação Portuguesa. Pois foi nesta cidade que ocorreram os principais acontecimentos políticos e militares, em 1128, às mãos de Dom Afonso Henriques, que deram a independência a Portugal e o nascimento da Nação Portuguesa.

Inicialmente foi batizada por Vimaranes, mas o nome foi evoluindo, através do latim para Guimarães. Contudo, a verdade é que o nome original mantém-se presente, com o povo de Guimarães a ser conhecido como vimaranenses.

História de Guimarães

Guimarães teve um papel fundamental no aparecimento de Portugal. Foi aqui que em 1179 nasceu Dom Afonso Henriques, que anos mais tarde viria a ser coroado Primeiro Rei de Portugal.

Cedo a localidade se mostrou importante, ou não fosse ela considerada a villa mais influente do Condado Portucalense.

Durante o século X, a Condessa Mumadona Dias, tia do Rei de Leão e principal impulsionador de Vimaranes, mandou erigir, na parte baixa da localidade, um Mosteiro e na parte alta, um Castelo, ao redor dos quais se foi desenvolvendo a villa. Posteriormente, durante o século XI, o Rei de Leão e Castela oferece o governo do Condado Portucalense ao Conde Dom Henrique, que casa com Dona Teresa. Deste casamento nasceu, em 1111, aquele que se veio a tornar o primeiro Rei de Portugal, Dom Afonso Henriques.

Em 1128, ocorre a Batalha de São Mamede, onde Dom Afonso Henriques saiu vitorioso. Assim esta vitória garantiu a independência do Condado Portucalense diante da sua própria mãe e do Reino de Leão. Com a conquista da independência Dom Afonso Henriques conseguiu a unificação dos territórios sob o domínio árabe. Já em 1179, o Papa Alexandre III reconhece Dom Afonso Henriques como o Primeiro Rei de Portugal.

Leia 5 cidades fora do roteiro…Espanha

E aos longo dos séculos Guimarães foi-se desenvolvendo e várias foram as indústrias que se destacaram neste desenvolvimento. Como por exemplo, a cutelaria, a ourivesaria e a curtimenta de peles, entre outras. Já a nível religioso, a vila acabou por se tornar um importante centro de peregrinação, com a devoção à Virgem Santa Maria de Oliveira.

O que visitar em Guimarães

Guimarães possui um passado histórico inigualável, que surge associado à identidade nacional portuguesa e à nossa língua. Esse passado acaba por ser reconhecido quando em 2001, o seu centro histórico foi classificado como Património da Humanidade, pela UNESCO. Assim, não deixe de visitar Guimarães, o berço de Portugal.

Monte Latito

O Monte Latito, também conhecido como a Colina Sagrada, é o local onde se encontra os três principais monumentos da cidade de Guimarães. Quando sobe a colina é recebido pela Estátua de D. Afonso Henriques, de 1887, da autoria de Soares dos Reis. Esta bela estátua de bronze representa o Conquistador, com as suas mãos a segurar a espada e o escudo. Bem por detrás da estátua é possível vislumbrar o Castelo e a Capela de São Miguel, assim como o Paços dos Duques de Bragança. Para além destes importantes monumentos nacionais o Monte Latito é composto por um espaço relvado assim como por belas árvores.

Castelo e Muralhas de Guimarães

O Castelo de Guimarães, edificado em forma de escudo, foi mandado construir no século X pela Condessa Mumadona Dias, após esta assumir o governo do Condado Portucalense. Este acabou por assumir um papel importante na defesa do Mosteiro e da população que ali residia, mas também serviu para mostrar aos feudais o seu poder. Inicialmente, o castelo foi denominado por Castelo de São Mamede e seria bem diferente daquilo que hoje vemos.

Guimarães o berço de Portugal
Castelo de Guimarães

As Muralhas de Guimarães foram construídas bem após a construção do seu Castelo. Terá sido, no final do século XII, que Dom Sancho I, filho de Dom Afonso Henriques, definiu os limites da localidade e mandado construir as muralhas. Até porque Guimarães era constituída por duas vilas independentes e decidiu-se defender melhor o burgo alto, a zona do castelo, em detrimento da vila localizada na zona mais baixa. Contudo, mais tarde, por altura do reinado de Dom Dinis foi feita uma estrutura defensiva única, alargada a toda a comunidade.

Capela de São Miguel

Bem próximo ao Castelo encontrará a Capela de São Miguel, onde Dom Afonso Henriques terá sido batizado. No interior da Capela, encontrará a pia batismal assim como os túmulos de vários soldados, que combateram ao lado de Dom Afonso Henriques na batalha de São Mamede.

Paços dos Duques de Bragança

Continuando o passeio pelos jardins da Colina Sagrada, encontrará o Paços dos Duques de Bragança. Esta bela casa senhorial foi mandada construir pelo próprio Duque de Bragança, Dom Afonso, que era filho ilegítimo de Dom João I. A construção, de estilo borgonhês, ocorreu por volta de 1420, quando Dom Afonso casou com Dona Constança de Noronha. Este exemplar palaciano, possui um aspecto fortificado, com vitrais assim como várias torres, conferindo-lhe um aspecto único, sendo ainda composto por dezenas de chaminés. Durante o século XIX, este foi adaptado para um quartel militar, para a defesa contra as tropas francesas. Hoje em dia, acolhe um museu, onde é reconstituída a moradia dos Duques de Bragança. Aqui encontrará belíssimas coleções de tapeçarias, mobiliário, cerâmica, pintura bem como armaria.

Guimarães o berço de Portugal
Paços dos Duques de Bragança

Capela de Santa Cruz

Bem próximo ao Palácio dos Duques está a Capela de Santa Cruz, construída em 1639. Esta é uma capela de traça maneirista bem simples, constituída por uma nave única e retangular.

Rua de Santa Maria

Siga pela Rua de Santa Maria, uma das ruas mais mediáticas e importantes de Guimarães. Esta histórica rua medieval servia de ligação entre o Castelo e o Mosteiro, localizado na parte baixa da localidade. Durante séculos moravam nesta rua vários membros da nobreza e do clero, acabando por torná-la numa rua de elite. Ao passear pela Rua de Santa Maria não deixe de apreciar os vários edifícios históricos ali localizados. Como por exemplo, capelas, conventos, solares, entre outros. Mas pode ainda entrar numa das várias confeitarias que por ali existem e provar um dos deliciosos doces típicos da cidade.

Leia também Os melhores petiscos portugueses

Convento de Santa Clara

Um dos edifícios mais emblemáticos da Rua de Santa Maria é o antigo Convento de Santa Clara. Este é o mais rico convento da cidade e repleto de belos claustros e jardins, que o tornam único. Mas é a sua bela fachada barroca que nos prende o olhar, com detalhes em granito magníficos e uma bela escultura de Santa Clara. Terá sido aqui que as freiras clarissas se dedicaram à arte da confeitaria e criaram os doces conventuais de Guimarães.

Leia também Comidas típicas de Portugal: a sua origem

Igreja e Convento de Nossa Senhora do Carmo

Bem próximo à Rua de Santa Maria está a Igreja e Convento de Nossa Senhora do Carmo, construída no século XVII, em estilo barroco. O seu interior está magnificamente adornado em talha dourada e possuí bonitos frescos. Quando as ordens religiosas foram extintas em Portugal, tanto a Igreja como o Convento passaram para as mãos do Estado. Durante algum tempo serviu para fins militares e posteriormente passou a funcionar como o Lar de Santa Estefânia, algo que se mantém até hoje.

Igreja Colegiada de Nossa Senhora da Oliveira

Siga até ao Largo da Oliveira e visite a Igreja Colegiada de Nossa Senhora da Oliveira. Esta teve origem no Mosteiro mandado construir pela Condessa. Inicialmente era um Convento que recebia monges e monjas e foi onde a Condessa passou os últimos dos seus dias.

Ao longo dos séculos o mosteiro foi sofrendo várias reformas, que terminaram naquilo que é hoje. O mosteiro passou a ser uma Igreja, quando em 1387, o rei Dom João I, cumpriu a promessa feita, caso vencesse a Batalha de Aljubarrota. Nasceu assim uma bela igreja gótica cuja decoração tem elementos manuelinos únicos.

Leia também Descobrir o CIBA

Capela de São Nicolau

No Largo da Oliveira temos também a Capela de São Nicolau, do século XVII, dedicada ao santo padroeiro dos estudantes de Guimarães.

Praça de São Tiago

Bem ao lado do Largo da Oliveira encontrará a Praça de São Tiago, uma antiga praça que mantém as suas características medievais até aos dias de hoje. Segundo a história, acredita-se que o apóstolo São Tiago trouxe para Guimarães uma imagem da Virgem Santa Maria e a colocou num templo pagão existente num largo. Esse largo passou então a ser denominado de Praça de São Tiago e era ponto de paragem obrigatório para quem fazia o Caminho de Santiago de Compostela.

Leia também Um dia em…Santiago de Compostela

Ao visitar Guimarães, berço de Portugal faça uma pequena pausa nesta praça, enquanto aproveita para relaxar e apreciar a beleza do local, numa das várias esplanadas por ali.

Guimarães o berço de Portugal
Arcadas na Praça de São Tiago

Leia também Descobrir a Basílica de São Nicolau em Bari

Largo da Misericórdia

O Largo da Misericórdia é uma bela praça onde está localizada a Igreja da Misericórdia, construída no início do século XVII, com uma bela fachada maneirista. Mas existem outras atrações que merecem especial destaque. Como por exemplo, a escultura do Rei Dom Afonso Henriques, que se encontra voltada para a Antiga Porta da Vila. Esta porta era a principal entrada para a vila de Guimarães e por onde entravam, com as devidas honras os Reis, Rainhas assim como outras personalidades famosas. É ainda possível ver aqui a Fonte de Dom João, Primeiro Rei do Reino Unido. Este é um monumento único em Portugal, pois recorda o Reino Unido de Portugal e Brasil.

Largo do Toural

O Largo do Toural é a praça principal de Guimarães, localizada fora das muralhas da cidade. Este era o local onde no século XVII decorriam as feiras de gado e as touradas, vindo daí o seu nome. Esta bela praça está rodeada por belíssimas casas burguesas assim como alguns dos estabelecimentos comerciais mais antigos da cidade. No Largo do Toural é possível ainda ver o magnífico Chafariz renascentista de três taças.

Largo do Toural

Igreja da Nossa Senhora da Consolação e Santos Passos

Visite também a Igreja da Nossa Senhora da Consolação e Santos Passos, que juntamente com a sua praça são um dos cartões postais de Guimarães. Esta está localizada junto a uma das portas da muralha medieval. A Igreja Nossa Senhora da Consolação, em estilo barroco, ficou concluída em 1785, para substituir uma capela que ai se encontrava.

Igreja de Nossa Senhora da Consolação e Santos Passos

Santuário da Penha de Guimarães

Por fim, se tiver tempo visite o Santuário da Penha, localiza-do a 7 km do centro histórico, no topo de uma montanha. Foi inaugurado em 1947 e é praticamente todo feito em granito da região. Para aceder a este belo santuário apanhe o teleférico e deixe-se deslumbrar pelas maravilhosas paisagens. Mas claro, poderá também subir através de uma estrada sinuosa.

Photo by luis castro on Unsplash

Mas Guimarães possui várias outras atrações que merecem muito ser visitadas. Contudo, para nós esta são aquelas que merecem maior destaque naquela que é o berço de Portugal.

Outros destinos históricos ao redor do Mundo

Afiliados

Vai viajar? Já reservou o seu hotel? Este blog tem parceria com o Booking. Cada vez reserva o seu hotel através do nosso blog, está a ajudar-nos, já que o nosso trabalho é voluntário.

Não deixe de fazer o seu seguro de viagem ou se preferir um seguro de acidentes de viagem para tornar a sua viagem mais tranquila. Pois a WorldNomads tem um conjuntos de seguros de viagens simples e flexíveis adequado às suas necessidades.

Ainda não adquiriu a passagem aérea? Viaje com a TAP e adquira voos a preços maravilhosos. E assim ajude o blog a manter-se.

Precisa de carros? Não deixe de reservar o seu carro com a DiscorverCars e obtenha os melhores preços.

Similar Posts

9 thoughts on “Descobrir Guimarães, o berço de Portugal
  1. Quando estive em Guimarães na minha viagem a Portugal, não consegui ficar muito tempo. Foi só de passagem, mas depois desse seu post, vi que terei que voltar com mais calma. Eu adorei a cidade, achei linda

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.