Destinos Europa Évora Portugal Roteiros

Roteiro em Évora: o que ver e fazer

Um dia em évora: o que ver e fazer

Localizada no Alentejo, Évora, a cidade mais emblemática desta região, é conhecida pelos seus monumentos da época romana, assim como pelas suas “várias vidas”. Pertenceu aos romanos até ao séc. V, seguiram-se os visigodos até ao séc. VIII, depois os mouros por quatro séculos e por fim os portugueses, a partir de 1165.    

Classificada como Património Mundial da Humanidade, em 1986, pela UNESCO, Évora faz-nos viajar no tempo com a sua típica calçada portuguesa, as suas magníficas janelas manuelinas ou as belas portas de arco românico. Assim, deambular pelas suas ruas faz-nos encontrar a cada esquina algo digno de interesse.    

Portanto, venha connosco descobrir o roteiro em Évora: o que ver e fazer e quais os principais pontos turísticos do local, que fazem desta cidade uma das mais bonitas de Portugal.

Beber um café na Praça do Giraldo

A Praça do Giraldo foi construída entre 1571 e 1573, tendo surgido como homenagem a Geraldo Geraldes, que conquistou Évora aos mouros, em 1167. No brasão de Évora está Geraldo Geraldes com uma espada em punho, montado em um cavalo e a seus pés estão as cabeças do mouro e da sua filha, que residiam no castelo onde o guerreiro se apoderou das chaves da cidade.

Esta bela praça foi classificada como Monumento Nacional, em 1910. Uma das atrações da praça é uma fonte de estilo barroco, feita de mármore com 8 bicas, cada uma associada a uma rua principal da Praça Giraldo. Outra atracão da praça é a Igreja de Santo Antão, construída a mando de D. Henrique e uma das mais importantes igrejas de Évora.

Como tal, não deixe de apreciar a beleza desta praça, sentado em uma esplanada enquanto bebe um café ou toma uma cerveja.

O que visitar ver e fazer em Évora - Praça do Giraldo
Praça do Giraldo

Viajar no tempo com as Termas Romanas

As termas romanas foram descobertas no final de 1987. Acredita-se que as mesmas tenham sido construídas entre os séc. II e III, sendo possivelmente as termas públicas da cidade. De notar, que quando se fala em termas romanas fala-se de algo com um papel de extrema importância para este povo. Pois a par da questão da higiene era também o local onde as pessoas se reuniam para conversar e conviver.

Dessa forma, tal como todas as termas romanas, as Termas Romanas de Évora eram compostas por três áreas distintas: o Laconicum, o Praefurnium e a Natation. Enquanto o Laconicum era usado para banhos quentes e de vapor, o Praefurnium era o local onde se fazia o aquecimento das águas e do ar das restantes salas. Por fim, a Natatio era uma piscina ao ar livre.

Assim, se gostam deste tipo de atracções não deixem de ler o nosso post Forum Romano e Monte Palatino, da nossa viagem a Roma.

Descobrir o Museu de Évora

O Museu de Évora é um museu com mais de 100 anos. O seu espólio iniciou com os artigos recolhidos pelo Dr. Augusto Filipe Simões durante a década de 1870, que continha artigos romanos, visigodos e árabes. Estas peças outrora pertenceram ao Templo Romano, ao Palácio D. Manuel e à Praça do Giraldo.

Actualmente, o grande destaque do Museu de Évora vai para um conjunto de 13 painéis que representam a Vida da Virgem. Bem como 6 painéis mais pequenos da Paixão de Cristo, pintados em meados do séc. XV, por pintores da escola de Bruges. O espólio engloba ainda obras de artistas como Francisco Henriques, Garcia Fernandes, Avelar Rebelo, entre outros.

Contemplar o Templo de Diana

O Templo Romano de Évora é um dos mais bem preservados templos romanos de toda a Península Ibérica, tendo sido considerado Património Mundial, pela UNESCO, em 1986. Este é sem dúvida o cartão postal da cidade. Dessa forma surge como o mais importante símbolo da ocupação romana da cidade.

Foi construído no início do séc. I e localiza-se bem no centro histórico da cidade. É conhecido por Templo de Diana, dada uma lenda do séc. XVII que associava a construção deste templo em honra da deusa romana da caça. Contudo, a verdade é que este foi construído em homenagem ao Imperador Augusto.

Ao longo dos séculos foi sofrendo várias alterações tendo igualmente sido utilizado para funções distintas. Contudo, manteve sempre a sua planta original, sendo construído em granito com cerca de 3,5 metros de altura. Sobre a sua base ainda é possível ver catorze das suas colunas coríntias originais, algumas das quais ainda com os seus capitéis de mármore branco.

Nas imediações do Templo de Diana está o bonito e pequeno Jardim de Diana de Évora. Apesar de bem modesto é extremamente agradável e possui um miradouro, que oferece uma vista incrível sobre a cidade.

O que visitar ver e fazer em Évora - Templo de Diana
Templo de Diana

Visitar o Palácio de Cadaval

O Palácio dos Duques de Cadaval foi construído no séc. XIV, sobre as romano-visigodas muralhas de Évora, que faziam parte do Castelo da cidade, a mando do fidalgo Martim Afonso de Melo. O seu nome original era Palácio da Torre das Cinco Quinas e serviu de moradia de vários monarcas. Tais como, Dom João II, D. João IV e D. João V, assim como, D. Fernando. Este belo exemplar do património arquitectónico do país resulta da fusão de diversos estilos. Nomeadamente o mudéjar, gótico e manuelino.

Atualmente continua a ser a residência dos Duques de Cadaval. Contudo, é possível visitar o Jardim do Paço, bem como a sala de Exposições da Casa Cadaval. Aqui é possível encontrar várias pinturas antigas, móveis, manuscritos, armaria, esculturas, acessórios de viagem e muito mais. Estas peças são desde o séc. XV até ao séc. XVIII.

Encantar-se com o painel de azulejos da Igreja dos Loios

A Igreja dos Loios também conhecida como Igreja de S. João Evangelista é uma das igrejas mais bonitas de Évora, fazendo parte do complexo palaciano do Palácio de Cadaval.

Caracterizada pelo seu painel de azulejos é considerada monumento nacional desde 1910. Pertenceu ao Convento dos Lóios, construído no séc. XV, sobre um castelo medieval. Foi erigida a mando do primeiro Conde de Olivença, D. Rodrigo Afonso de Melo, em 1485. A sua função seria a de panteão da família Melo, algo que se confirma ao se observar a presença de vários túmulos da família. Nomeadamente, o magnífico túmulo de Francisco Melo.

De estilo manuelino é revestida por magníficos azulejos do séc. XVIII, do mestre António de Oliveira Bernardes, que retratam sete episódios da vida de S. Lourenço. Já o seu portal ogival da entrada é de inspiração gótica. Junto ao portal é possível ver um brasão onde estão representadas as armas da família Melo.

O que visitar ver e fazer em Évora - Igreja dos Loios
Igreja dos Loios

Descobrir a Catedral de Évora

A Catedral de Évora também conhecida como Sé é na verdade a Basílica de Nossa Senhora da Assunção. É a maior Catedral medieval de Portugal, tendo a sua construção iniciado no final do séc. XII. O seu estilo é marcado por uma transição entre o românico e o gótico.

No seu exterior é possível ver duas torres medievais de cada um dos lados da fachada e o seu zimbório é o elemento mais marcante.

Já no seu interior encontramos 3 grandes naves. Na nave central encontra-se o altar de Nossa Senhora do Anjo, toda em talha barroca, com imagens góticas da Virgem Maria e do Anjo Gabriel. A Catedral é composta também por um Museu de Arte Sacra, com uma colecção valiosa na área da paramentaria, pintura, escultura e ainda ourivesaria.

Sé
Zimbório da Sé Catedral

Orar na Igreja do Carmo

A Igreja de Nossa Senhora do Carmo é um dos locais obrigatórios a visitar em Évora. É a antiga igreja do Convento do Carmo e sede paroquial da Sé de Évora. Construída no final do séc. XVII, esta bonita igreja, de estilo barroco, ocupa o antigo paço quinhentista dos Duques de Bragança.

O principal elemento de destaque deste templo religioso é a Porta dos Nós, um símbolo da Casa de Bragança. O seu interior é composto por uma nave, com seis capelas laterais e capela-mor. Atualmente pertence à Universidade de Évora.

Perder-se na fachada da Igreja da Graça

A Igreja da Graça também conhecida como Convento de Nossa Senhora da Graça pertencia aos frades eremitas calçados de Santo Agostinho. Foi considerada Monumento Nacional, em 1910.

Esta é o primeiro monumento renascentista de Évora e a sua construção remonta ao séc. XVI. É construída em granito e possui um belo pórtico de colunas toscanas, pilastras clássicas e medalhões decorativos. Actualmente serve como Messe de Oficiais da guarnição de Évora.

Igreja do Carmo
Igreja da Graça

Aventurar-se na Capela dos Ossos

A Capela dos Ossos é provavelmente o monumento mais conhecido da cidade, fazendo parte da Igreja de São Francisco. Edificada no séc. XVII, esta capela tinha como objectivo passar uma mensagem de transitoriedade e fragilidade da vida humana. Algo bem patente no aviso da entrada.

Nós ossos que aqui estamos, pelos vossos esperamos”

Dedicada ao Senhor dos Passos, este é um templo de arquitectura penitencial, cujas paredes e pilares se encontram revestidos por ossos e crânios humanos. As suas abóbadas estão decoradas com frescos, datados de 1810, com motivos que simbolizam a morte. Como por exemplo, algumas passagens bíblicas e outros elementos da Paixão de Cristo. A Capela dos Ossos possui ainda algumas estátuas de ordem religiosa e pinturas de estilo renascentista e barroco.

Contudo, nesta diferente capela não só a morte está patente e à saída da Capela é ainda possível encontrar um painel de azulejos, de Siza Vieira, que representam o milagre da vida.

Quer saber um pouco mais sobre a bonita Capela dos Ossos? Leia então o post Capela dos Ossos: um alerta sobre a transitoriedade da vida, do blog Lugares de Memória.

Capela dos Ossos
Cmapela dos Ossos ( Imagem de Julian Hacker por Pixabay)

Évora é uma das cidades mais interessantes de Portugal e do meu ponto de vista a mais bonita do Alentejo. Nesse sentido, o trama de um dos grandes livros de um autor português, Eça de Queirós, “Os Maias”, desenrola-se nesta bonita cidade.

Vocês já conhecem Évora? O que acharam do nosso roteiro em Évora: o que ver e fazer?

Blogagem Colectiva

Quer conhecer outros roteiros ao redor do mundo? Veja o que os nossos parceiro bloggers têm a dizer sobre outros locais únicos:

Afiliados

Vai viajar? Já reservou o seu hotel? Este blog tem parceria com o Booking. Se pretende fazer a sua reserva para ficar alojado em Évora, contrate o serviço aqui e estará a ajudar o nosso blog, já que o nosso trabalho é voluntário.

Não deixe de fazer o seu seguro de viagem ou se preferir um seguro de acidentes de viagem para tornar a sua viagem mais tranquila. A WorldNomads tem um conjuntos de seguros de viagens simples e flexíveis adequado às suas necessidades.

Ainda não adquiriu a passagem aérea? Viaje com a Iberia e adquira voos a preços maravilhosos. E ajude o blog a manter-se.

Similar Posts

19 thoughts on “Roteiro em Évora: o que ver e fazer
  1. Nossa, que sonho conhecer Évora, que destino maravilhoso e apaixonante. Amei conhecer o seu Roteiro em Évora, saber exatamente o que ver e fazer. Agora tenho um norte para montar o meu roteiro. Obrigada.

  2. Sempre que vejo qualquer coisa sobre Portugal fico babando pois tenho tanta vontade de conhecer o país! Adorei o seu roteiro em Évora e tudo sobre o que ver e fazer! Espero matar essa vontade toda e conhecer não só Évora mas como o país inteiro – e comer todas as iguarias portuguesas!

  3. e qAdorei o seu roteiro sobre o que ver e fazer em Évora. Eu amei essa cidade, visitei em 2019+ e quero muito voltar pra lá um dia! A praça do Giraldo pede um cafezinho e um doce português. Abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.